Plano de parto: a construção do protagonismo no processo de gerar e parir

  • Arnildes Rodrigues de Oliveira Faculdade Ielusc
Palavras-chave: Autonomia pessoal, Tomada de decisões, Gravidez

Resumo

A experiência da gestação e do parto na maioria das vezes exige tomada de decisão importante que envolve por um todo o contexto familiar, social e pessoal da gestante. Essas decisões, em especial sobre o período gestacional e parto, precisam ser acompanhadas de maneira oportuna pela equipe de saúde, a fim de possibilitar uma vivência gestacional prazerosa e o protagonismo no momento do parto. Pensando na autonomia da mulher no momento do parto e nascimento foi criado um documento denominado Plano de Parto, que é uma ferramenta de informação e de cuidado que estimula a gestante a tomar decisões compartilhadas e contribui na formação do vínculo com os profissionais de saúde envolvidos na assistência e a gestante, favorecendo sua autoconfiança e a valorização da autonomia e do protagonismo durante a parturição. Este estudo justifica-se a partir da necessidade de trazer a mulher para o protagonismo no processo de parto e nascimento, pois apesar de existirem políticas públicas que ressaltam a necessidade de segurança e humanização, o Brasil ainda persiste nas práticas de um modelo arcaico de parto no qual a gestante ainda é passiva durante esse processo. OBJETIVO: O presente trabalho é um estudo descritivo com abordagem qualitativa que teve como objetivo identificar o conhecimento das puérperas acerca do Plano de Parto em uma maternidade pública no município de Joinville/SC, no ano de 2018. METODOLOGIA: Participaram do estudo dez puérperas internadas no setor de alojamento conjunto em uma maternidade pública. A coleta de dados foi realizada através de entrevistas semiestruturadas, e os dados foram analisados utilizando a análise temática de Minayo (2013). RESULTADOS: A importância dos Planos de Parto e nascimento origina-se no respeito ao Princípio Bioético da Autonomia, favorecendo o protagonismo da mulher no processo de parto, e serve como ferramenta na preparação para o parto. As puérperas entrevistadas não tinham conhecimento sobre o Plano de Parto, após análise das entrevistas emergiram duas categorias, sendo estas: Plano de Parto: Um direito desconhecido da mulher; A importância do pré-natal na construção da autonomia e empoderamento. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O estudo possibilitou um aprofundamento na temática, permitindo uma reflexão sobre a importância do Plano de Parto como ferramenta de informação e conhecimento, favorecendo a construção do empoderamento e protagonismo da mulher gestante. Espera-se que este estudo sirva de reflexão no processo de parto e nascimento, e que as equipes de saúde compreendam o Plano de Parto como um direito da gestante, possibilitando sua inclusão na assistência ao cuidado durante o pré-natal.

Publicado
2019-06-26