A vivência da Fonoaudiologia na disciplina de Libras: relato de experiência

  • Jelson Budal Schmidt Faculdade Ielusc
  • Ana Paula Duca
Palavras-chave: Libras. Surdo. Fonoaudiologia.

Resumo

Desde que foi formalizada no ano de 2002 enquanto língua da comunidade surda a Língua Brasileira de Sinais – Libras tem tido visibilidade perante a comunidade ouvinte, seja pelo contato destas pessoas com Libras como disciplina na graduação, pelos noticiários sendo tema de redação do Enem ou pelo discurso da primeira dama realizado em Libras. Diante do exposto pretende-se expor neste artigo relatos das atividades desenvolvidas pelos acadêmicos no curso de Fonoaudiologia da Faculdade Ielusc na disciplina de Libras, mais precisamente da dinâmica utilizada para que os estudantes conseguissem aprender os sinais de forma efetiva, permitindo que lembrassem dos sinais rapidamente quando necessitassem, facilitando a comunicação com pessoas surdas. Pela necessidade de fazer com que os estudantes tivessem mais contato com a língua de sinais para além dos estudos em sala de aula, como parte integrante da média bimestral alguns itens foram solicitados: gravação de vídeo de interpretação de música em Libras, esta música é da escolha dos acadêmicos; gravação de vídeo/ criação de slides com temas pré definidos (sinais de cumprimentos, cores, verbos entre outros) e foi realizada avaliação sinalizada, ou seja, uma prova oral em Libras, que consistia em contar uma história em Libras que os estudantes precisavam entender para poder responder as questões da avaliação, além desta ter algumas perguntas sobre a história da educação de surdos, porém estas não eram feitas em Libras, estavam escritas em português e eram de múltipla escolha. Algumas regras foram estabelecidas para criação dos vídeos: estes deveriam apresentar identificação dos integrantes do grupo, nome da instituição, do curso e do professor, legenda com a letra da música, bom posicionamento dos membros da equipe quando fossem gravar o vídeo, cuidado com a vestimenta para gravação bem como com acessórios que pudessem atrapalhar o andamento do vídeo fazendo com que estes acessórios chamassem mais atenção do que os próprios sinais. A avaliação é realizada em um dia e não pode ser oralizada por ambas as partes, ou seja, professor e estudantes só podem se comunicar em Libras e quando não entenderem algum sinal poderiam pedir para o professor soletrar, sempre resgatando o que foi ensinado em sala de aula. Os vídeos com os temas e músicas são apresentados em outro dia de aula. Esta apresentação é muito esperada e gera curiosidade, seja em função da escolha das músicas seja pela apresentação em si, pois a maioria dos acadêmicos nunca teve aula de Libras anteriormente. Acompanhado dos vídeos é feito um momento do café para celebrarmos as produções dos estudantes, sendo convidados professores do curso para que possam prestigiar este momento. Identifica-se nos estudantes uma vontade de querer se superar para o próximo vídeo, já que esta atividade é realizada bimestralmente, e evidencia-se que alguns acadêmicos acabam por buscar cursos de Libras depois da disciplina e com êxito, pois quando realizam avaliação para verificar em que nível estão acabam por entrar em níveis superior ao básico, reflexo do aprendizado que obtiveram na disciplina.

Publicado
2019-06-26