A consulta de enfermagem na atenção primária como ferramenta de prática do processo de enfermagem

  • Vanessa Cardoso Pacheco Faculdade IELUSC
  • Silvia Redondo
  • Heloiza Delmonego
  • Diego Jose Brand
Palavras-chave: Consulta de enfermagem. Educação em enfermagem. Processo de enfermagem.

Resumo

Introdução: O processo de enfermagem tem o objetivo de guiar o cuidado do profissional de enfermagem de forma organizada e sistemática. Sua utilização é exigida pelo Conselho Federal de Enfermagem através da resolução n. 358/2009. A consulta de enfermagem é de competência exclusiva do enfermeiro, prevista na lei de exercício profissional  n. 7.498/86. Dessa forma, uma ferramenta metodológica na consulta de enfermagem torna a assistência mais organizada e promove um cuidado de mais qualidade. Objetivo Geral: Elaborar uma proposta de processo de enfermagem, para consulta programática do enfermeiro na atenção primária do município de Joinville. Objetivos Específicos: Identificar as possibilidades de consulta de enfermagem programáticas; Definir referencial para o processo de enfermagem; Elencar protocolos municipais, federais; Elaborar roteiros para consultas de enfermagem programáticas. Metodologia: Para elaborar os instrumentos foram escolhidos os atendimentos programáticos de consulta pré-natal, consulta de saúde da mulher para coleta de citopatológico, consulta de puericultura, consulta de acompanhamento do usuário hipertenso, consulta de acompanhamento do usuário diabético e consulta para avaliação de úlcera. Como referencial de processo de enfermagem foram utilizadas 3 etapas das 5 propostas por Tannure (2010) e COFEN 358/2009 que contempla; Investigação (histórico e exame físico), Diagnóstico de enfermagem (CIAP-2) e Planejamento dos resultados esperados. Foram utilizados como norteadores os protocolos municipais e os cadernos de atenção básica do ministério da saúde. Os roteiros foram elaborados pelos acadêmicos da 10a fase do curso de graduação em enfermagem IELUSC e pela professora supervisora com validação das enfermeiras preceptoras do campo. Resultados: Durante os primeiro dias do estagio supervisionado II os academicos foram orientados a acompanhar a rotida da unidade e reconhecer as práticas do enfermeiro na atenção primária. Ao longo dos dias nas reuniões de supervisão inloco foi realizado com as preceptoras a identificação das principais dificuldade percebidas, as processo e enfermagem e utilização dos CIAPS adequados apareceram como principal fragilidade percebida na pratica assistencia do enfermeiro da atenção primária. Também foram identificadas as principais áreas programáticas em que estas dificuldades aconteciam para que fossem priorizados os reconheicmentos dos protocolos norteadores. Os acadêmicos adaptaram os roteiros para consultas de enfermagem utilizados nas disciplinas ao longo do curso à prática vivenciada no último estágio. Para validação dos instrumentos os mesmos foram validados em encontro envolvendo os três acadêmicos com as respectivas preceptoras, momento em que foram realizados os ajustes para tornar os roteiros mais usuais na rotina da consulta de enfermagem. Este processo de construção coletiva permitiu aos academicos sintetizar os conhecimentos ao longo do curso e adaptar a prática assisntencia do enfermeiro na atenção primária á saúde.

Publicado
2019-06-26